Porto Calvo

De WikiAlagoas

Porto Calvo é um dos 102 municípios alagoanos. A cidade ficou famosa pela figura histórica de Calabar.

Localização de Porto Calvo em Alagoas.

Tabela de conteúdo

[editar] Etimologia

A origem é lendária. Dizem que antes da chegada de Cristóvão Lins para assumir as terras que ganhara da coroa, às margens do rio Manguaba, um velho calvo morava nas redondezas. O Porto do Calvo ficou conhecido desde então. Quando a povoação se consolidou, após a criação dos primeiros engenhos, foi elevada à Vila com o nome de Bom Sucesso, em regozijo à vitória obtida contra os holandeses. Mais adiante, foi denominada Santo Antônio dos Quatro Rios, devido aos cursos d’água que a rodeiam. Todavia, a denominação original prevaleceu, arraigada que estava no coração de sua gente.

[editar] Demografia

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no recenseamento de 2010, Porto Calvo tem aproximadamente uma população de 25.718 habitantes divididos entre zona rural (5.498 habitantes) e zona urbana (20.220 habitantes), sendo que o total de homens é 12.761 e de mulheres é de 12.957.

[editar] História

O município de Porto Calvo é a freguesia mais antiga do estado, pois já existia no século XVI. Sua fundação é atribuída a Cristóvão Lins, a quem foram doadas terras que se estendiam do rio Manguaba ao Cabo de Santo Agostinho. "A sesmaria recebeu o nome de Santo Antônio dos Quatro Rios – Manguaba, Camarajibe, Santo Antônio Grande e Tatuamunha – compreendia as terras entre os rios Manguaba, passando pelo Rio Camarajibe|Camarajibe (Matriz e Passo do Camaragibe), Tatuamunha (Porto de Pedras) e chegando ao rio Santo Antônio, em São Luiz do Quitunde". Nesta região, ele iniciou a cultura canavieira, e construiu uma capela e sete engenhos. Os novos proprietários procuraram logo fazer a derrubada das matas e plantar cana-de-açúcar, surgindo daí os engenhos bangüês que sustentaram a economia alagoana durante quatro séculos, até serem substituídos pelas usinas. Os primeiros engenhos foram construídos por Cristóvão Lins, no qual ele batizou com os nomes de Escurial, Maranhão e Buenos Aires.

Porto Calvo foi um dos primeiros locais a ser habitado pelos portugueses. A cruzada organizada por Cristóvão Lins percorreu parte do litoral, expulsando os índios e se apossando de suas terras. Cristóvão Lins recebeu o título de alcaide-mor de Porto Calvo em 1600. O povoado foi se formando com o movimento entre o norte e o sul, assumindo características de vila nos primeiros trinta anos do século XVII. A origem do nome vem de uma lenda na qual um velho calvo, que morava às margens do rio, construiu um porto, conhecido como o "Porto do Calvo". Quando foi elevada à vila, passou a se chamar Bom Sucesso, em homenagem à vitória de Matias de Albuquerque contra os holandeses, mas permaneceu Porto Calvo até os dias atuais.
Calabar

Sempre presente em fatos políticos, Porto Calvo teve papel saliente nos diversos acontecimentos sociais e políticos da Capitania de Pernambuco, haja vista, que à época esta como o Estado de Alagoas eram parte do Estado de Pernambuco. Fez-se notável pela parte que tomou na guerra com os holandeses, serviu de base para as forças expedicionárias e como entreposto comercial durante o período da destruição do célebre Quilombo dos Palmares. Tem como filhos ilustres Calabar, Zumbi e Guedes de Miranda, sendo que Domingos Fernandes Calabar se tornou o caso mais famoso de deserção da história do país. Figura muito discutida por historiadores, com duas correntes antagônicas, uns considerando-o herói e outros o julgando traidor da pátria por ter se aliado aos holandeses. Na época do Brasil Colônia, num tempo em que não se encontrava solidificado o sentimento nativista e a consciência de uma pátria como a temos nos dias atuais, a deserção era fato corriqueiro dentro das fileiras dos exércitos. Calabar não foi o único a desertar, outros que por diversos motivos e pertencentes às mais diferentes etnias e nacionalidades mudavam de lado rotineiramente.

A freguesia, sob invocação de Nossa Senhora da Apresentação|N.S. da Apresentação, foi criada por volta de 1575. Sendo elevado de povoado à vila em 12 de Abril de 1636, e foi elevada á categoria de cidade pela Resolução nº 1.115, de 14 de Novembro de 1889 e depois pelo Decreto nº 10, de 10 de Abril de 1890. Como atrativos (além da própria história), o município oferece a Igreja Matriz, considerada Monumento Nacional em 6 de Junho de 1952, pelo Senado Federal e tombada em 17 de janeiro de 1955 pelo serviço de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, a Igreja de Nossa Senhora da Apresentação traz estampada em seu frontispício a data de 1610, como ano de sua conclusão. Temos o Alto da Forca e o rio Manguaba, além das festas da padroeira (21/11) e do aniversário (12/04).

[editar] Geografia

[editar] Localização

O município de Porto Calvo localiza-se na região norte do litoral alagoano, limitando-se com Jundiá (33Km), Matriz de Camaragibe (25Km), Porto de Pedras (30Km), Japaratinga (20Km), Maragogi (30Km) e Jacuípe (18 km). Distante de Maceió 96 quilômetros e está situado 35 metros acima do nível do mar. Ocupa uma área de 335 km², é a 31ª região em extensão territorial do Estado de Alagoas.

[editar] Divisão Administrativa

[editar] Clima

Situado em altitudes muito baixas no litoral do Estado de Alagoas, o clima desse município é tropical megatérmico e úmido, quase subúmido. A variação climática sazonal é assegurada, principalmente pelo regime de chuvas: há uma estação muito chuvosa, centralizada no inverno (Junho, Julho e Agosto) e uma estação seca centralizada no verão (Novembro, Dezembro e Janeiro). Os totais anuais de chuvas são elevados, normalmente entre 1400 e 1500 mm, porém as chuvas são mal distribuídas ao longo do ano. Embora a estação da chuva inicie-se normalmente em março e termine em agosto (61% do total anual), somente a partir de maio iniciam-se as chuvas, estendendo-se até agosto, onde há uma grande formação de água (500 a 600 mm, normalmente) que fica disponível para o escoamento superficial. Em contra partida, de outubro a fevereiro, chove apenas 15 a 20% do total anual. Considerando que as temperaturas permanecem em níveis predominante elevados durante todo ano, a necessidade natural de águas nessa época torna 15% a 20% de chuvas insuficientes, daí resultam grande déficit de água nos solos; que costumam prosseguir até abril. Tem as características de um clima temperado ocorrendo máxima de 30º e mínima de 20º. O inverno tem seu início em abril e termina em setembro.

[editar] Vegetação

O município de Porto Calvo era coberto pela Mata Atlântica, hoje bastante rara, preservada em alguns pontos e em recuperação em outros. Porto Calvo era dotado de consideráveis riquezas florestais, havendo madeiras de várias espécies. O junco e o peri-peri, destinados à confecção de esteiras, são encontradas em grandes quantidades em vários rios portocalvenses. Já a riqueza de origem animal se constata em grande quantidade nos rios e lagoas.

Esta vegetação exuberante aos poucos foi sendo substituída por outra, muito pouco diversificada, de sua principal cultura a cana-de-açúcar. O clima também é favorável à lavoura de subsistência (mandioca, milho, etc.)

[editar] Relevo

Seu relevo apresenta duas feições: a primeira a dos tabuleiros, com uma topografia plana e suavemente ondulada, modelada em rocha sedimentar|rochas sedimentares argiloarenosas. A segunda corresponde a do modelado em rocha cristalina|rochas cristalinas, com uma topografia ondulada e movimentada, destacando-se as serras do Café, do Urubu e Benfica. A altitude oscila de poucos metros a 200 metros.

[editar] Hidrografia

A rede hidrográfica é constituída pelos Rios Salgados, Grupiuna, Manguaba, e seus afluentes, Comandatuba, Muicatá e Tapamundé.

[editar] Política Municipal

[editar] Indicadores sócio-econômicos

[editar] Economia

De acordo com o IBGE, a atividade pecuária do município de Porto Calvo é contabilizada de acordo com a quantidade de: Asinino, bovino, caprino, codorna, coelhos, equinos, galinhas, galos, frangas, frangos, pintos, leite, mel de abelha, muares, ovinos, ovos de codorna, ovos de galinha, suínos e vacas ordenhadas..

No quadro ao lado, podemos analisar a produção dos referidos gêneros no município de Porto Calvo, entre os anos de 2003 e 2008.

Porto calvo.png
De acordo com o IBGE, a atividade agrícola do município de Porto Calvo é contabilizada de acordo com a quantidade de: abacaxi, arroz, banana, batata doce, cana-de-açúcar, castanha de caju, coco-da-baía, feijão, goiaba, laranja, limão, mamão, mandioca, maracujá, melancia, milho, pimenta do reino e urucum.

No quadro ao lado, podemos analisar a produção dos referidos gêneros no município de Porto Calvo, entre os anos de 2003 e 2008.

Porto calvo1.png

[editar] Saúde

[editar] Educação

No campo educacional, o município é responsável por 43 escolas, distribuídas entre a zona rural e urbana, oferecendo da educação infantil ao ensino fundamental. Havendo duas escolas estaduais com ensino fundamental e médio e uma particular do maternal ao fundamental I, além de uma extensão da Universidade Federal de Alagoas – Ufal, oferecendo curso de graduação à distância.

[editar] Comunicações

[editar] Transportes

[editar] Cultura

As manifestações Folclore|folclóricas estão registradas nas seguintes danças: arrasta-velha, cambina, pastoril, quadrilha e coco-de-roda, bem como o Carnaval.

[editar] Figuras Ilustres

José Ângelo Martins - Sócio Fundador do Instituto Histórico de Alagoas, deputado provincial e da Câmera dos deputados, cujo discurso "Resposta à fala do Trono" tornou-se um fato político no Império.

Guedes de Miranda - bacharel, jurista e notável orador.

Newton Sucupira - educador de renome, com vários trabalhos em sua área de estudo

Matheus de Albuquerque - diplomata e escritor

Manoel Ferreira de Barros - político

João Moraes - político


[editar] Gastronomia

[editar] Religião

catolico

[editar] Esportes

[editar] Vídeos

[editar] Referências

Sítio da Cidade

Wikipedia

Municípios Alagoanos – Douglas Apratto Tenório: historiador – Rochana Campos: Geógrafa – Cícero Péricles: Economista – Maceió: Instituto Arnon de Mello, 2006

Ferramentas pessoais
Secretaria de Planejamento